domingo, 21 de dezembro de 2014

Uma revolução de amor - remédio uma análise - Da Redação

Mais um produto da fé 


                    Com o rótulo de um remédio convencional, o amorprazol é indicado para todas as famílias que buscam "uma revolução de amor". O nome soa comum aos ouvidos. Isso porque o produto gospel, espécie de jogo criado pelo Ministério Família Debaixo da Graça, com sede em Bragança Paulista (SP), foi inspirado no medicamento omeoprazol, usado para combater problemas gástricos. O poder antidivórcio, segundo o líder evangélico Josué Gonçalves, está dentro de cada uma das dez cápsulas, que guardam papéis com "princípios bíblicos ativos". 
                    Às vezes certas pessoas só não são mais ridículas por falta de espaço . Segundo o dramaturgo Nelson Rodrigues um dia o mundo seria dominado pelos cretinos fundamentais .  Casos como esse parecem indicar essa profecia.
                    Mas tranquilizo-me ao conhecer tantas pessoas de bom senso e de fazer parte de um grupo ( ICKS )  que prima pela racionalidade . Esse respeito à razão se deve ao constante contato e aprendizado com o  Espiritismo.
                    Soluções mágicas , palavras desconexas , pensamentos primários , não se coadunam com uma doutrina que é todo pensar , refletir e respeitar as decisões alheias .

Deixe a sua opinião!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A Falácia da Igualdade

               Nossa cultura latino-americana tem um traço muito forte de imediatismo, de busca de resultados rápidos através de atalhos que encurtem nossos caminhos. Falta-nos visão de longo prazo, paciencia e persistencia na busca de nossos objetivos. Um país de constrói ao longo de séculos, na melhor da hipóteses, ao longo de várias décadas.
               Quando analisamos os séculos de construção de alguns países bem-sucedidos, tidos como exemplos de igualdade e justiça social, tais como Holanda, Suécia, Dinamarca e Noruega, percebemos que a igualdade nunca foi um objetivo em si. A igualdade e justiça social que desfrutam foi, na verdade, consequencia da defesa intransigente da liberdade acima de tudo, da criação e manutenção de regras claras e instituições fortes para que os cidadãos pudessem sempre controlar o Estado, e não ao contrário, tudo isso ao longo de séculos.
               Alguns podem questionar, mas que liberdade é essa da qual você está falando? E a resposta, é melhor que seja a mais simples possível, a mais fácil de entender e que possa servir de fundamento para qualquer questão que envolva a relação entre um povo e seu governo. Estou falando de liberdade total, ampla e irrestrita, para fazer, pensar, falar, escrever, produzir, consumir, trabalhar, ir e vir, proferir sua fé, cuidar de sua família, errar, acertar, corrigir seus erros, até o limite que essa liberdade não interfira ou prejudique a liberdade e os direitos do próximo. É a liberdade com responsabilidade, aquela que você tem o direito de usufruir de toda riqueza que produz, assim como tem o dever e a obrigação de pagar pelos prejuízos que causa aqueles que estão a sua volta. E ao governo, caberá apenas garantir essa liberdade a seus cidadãos, a cada um individualmente e exatamente na mesma medida, sem nenhum privilégio a quem quer que seja, não importando a sua classe social, cor da pele, opção sexual, posição dentro ou fora do governo. Essa deve ser a única igualdade a ser perseguida e garantida pelo governo, a igualdade de todos os indivíduos perante a lei.
               Agora, vamos considerar a outra opção. Muitos podem e (ainda) tem a liberdade para discordar. São as pessoas que priorizam a busca da igualdade social, a defesa dos pobres e oprimidos como objetivo maior de qualquer governo. Sempre me faço as seguintes perguntas: quem define o nível certo de igualdade? Se as pessoas nascem diferentes, com características e habilidades distintas, qual critério deve ser usado para definir esse ponto de equílibrio em que todos estarão satisfeitos e felizes? Qual o momento certo de dizer "até aqui eu ajudo e daqui pra frente voce caminha sozinho? Onde isso acaba? E se não acaba? Será que existe alguém, algum partido político, algum grupo de pessoas tão superior e iluminado que seja capaz de coordenar esse processo e nos conduzir a esse estágio avançado de igualdade e equilibrio perfeitos?
               Os últimos que se julgaram iluminados e superiores, levaram milhões de pessoas a morte, alcançando a igualdade apenas na pobreza sendo o conceito de liberdade eliminado parcial ou integralmente.
               Eu escolhi defender um país livre. Acredito na liberdade, não acredito na igualdade. Nunca vi a igualdade funcionar nos últimos séculos. A liberdade não é perfeita, ela também causa dor e sofrimento em alguns momentos e a alguns grupos de pessoas, pois nem todos sabem usar essa liberdade, nem todos tem responsabilidade para administrar sua própria liberdade. Apesar de todas essas imperfeições, quando analisamos a história e a evolução dos países ao longo dos últimos séculos de maneira racional e sem preconceitos, fica claro e evidente que a liberdade já produziu mais riqueza, mais felicidadee, até mesmo, mais igualdade do que a própria igualdade foi capaz de produzir para si mesma.

Gisela Régis



sábado, 6 de dezembro de 2014

Entendendo Flávio Gikovate

Entendendo Flávio Gikovate

Em entrevista dada ao jornal o Estado de São Paulo para a divulgação de seu mais recente lançamento, o livro Mudar- Caminhos para a Transformação Verdadeira- o médico psiquiatra Flávio Gikovate fala das mudanças pessoais como transformações possíveis que podem ser verdadeiras, mas que são muito trabalhosas.
Coloca ainda que “graças a tecnologia as pessoas estão ficando mais individualistas e isto pode ser o fim do egoísmo”. Defende a tese que o egoísmo é necessariamente ruim e que sua matriz é a generosidade. O egoísta é aquele que recebe mais do que dá. E para que ele receba mais do que dá, alguém tem que dar mais do que recebe (generoso).
Tem fundamento esta colocação, mas será que o egoísta recebe mais necessariamente? E o generoso dá mais do que recebe?
Neste prisma que ele analisa principalmente nas relações parentais mais próximas isto pode ocorrer “uma mãe generosa tende a criar filhos egoístas, folgados naturalmente”. É uma possibilidade que pode ocorrer ou não. 



É próprio do egoísta não se colocar no lugar do outro, ele é um explorador que não tem sentimento de culpa.
Os avanços tecnológicos geram mudanças no estilo de vida, sendo a sociedade moderna individualista, cria a necessidade de autossuficiência e leva a situações não planejadas como o desenvolvimento de recursos próprios, desenvolvimento de habilidades, diminuindo a interdependência entre o egoísta e o generoso.
 O individualismo é o maior inimigo do egoísmo trazendo o seu fim.
Esta é uma análise do ponto de vista psicológico do egoísmo e não do ponto de vista moral.
O egoísmo nos dois aspectos não é nada bom, mas uma abordagem não obstrui a outra, pelo contrário, o entendimento fica mais consistente e amplo.
Mas e a generosidade? Como fica neste mundo de transformações.
Na Doutrina Kardecista onde a mudança e as transformações são traços necessários e fundamentais para a evolução do homem e do mundo, vemos as mudanças em relação ao servir ao próximo como possibilidade de abrir-se para outros prismas, tanto na atuação como no conceito.
Almejamos e trabalhamos para uma sociedade melhor que alcance outros patamares, onde a pobreza material não mais exista, onde não seja necessárias instituições de caridade, onde cada sociedade e indivíduo possa suprir suas necessidades e não necessitar de ajuda material.
O generoso, o solidário, o que gosta de servir terá um olhar diferente e mudará a sua forma de atuar.
Nós já começamos a observar essa mudança na atuação em muitos setores da sociedade, suprindo as mais diversas necessidades do ser humano que não ficam apenas no material. Muitos estilos de atuar para o bem comum que prezam acima de tudo a promoção social e não a interdependência que, é algo que diminui as possibilidades de cada um, e que não auxilia no crescimento pessoal e espiritual.

Cláudia Régis Machado

Resposta Brincadeiras do Kadu - Setembro de 2014

Setembro de 2014


Resposta da Brincadeira do Kadu de Outubro de 2014

Outubro 2014

terça-feira, 11 de novembro de 2014

A participação de Deus 




                    Por mais irônico que possa parecer foi um padre católico , astrônomo e físico belga de nome Georges-Henri Édouard Lemaître ( 1894 – 1966 ) quem  primeiro propôs o que ficou conhecido como teoria da origem do Universo do Big Bang, que ele chamava de "hipótese do átomo primordial",
que posteriormente foi desenvolvida por  George Gamow .  
                    Isso no entanto não exigiu nenhuma intervenção divina afirma o filósofo e jornalista italiano Paolo Flores d’Arcais , contrariando o Papa Francisco que afirmou que o big-bang , hoje entendido como a origem do mundo, não
contradiz a intervenção do divino criador , mas a exige “. Segundo o citado filósofo a afirmação do Papa é falsa . Nenhuma teoria e lei científica , aliás , jamais exigiu que se recorresse a Deus como hipótese . 
                    A ciência é autossuficiente, mas deixa uma porta aberta quando fala que a ciência reconstitui o que aconteceu a partir da infinitesimal fração de segundo após o big-bang . A ciência não sabe , diz o filósofo , o que aconteceu “ antes “, ou se aconteceu algo , mesmo porque “ antes “ já implica a existência da dimensão temporal .
                    Concordo com o filósofo , especialmente no “ depois “ ao big-bang onde  o universo passou a ser regido pelo que denominamos no Espiritismo como Lei Natural . Da matéria quem tem autoridade para falar é a ciência .
                    Mas no “ antes “ a hipótese da ação daquele a quem o espiritismo denominou como inteligência suprema , causa primária de todas as coisas , continua perfeitamente válida .

Roberto Rufo 

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O Boom da Literatura Espírita

Alguns dados interessantes sobre a venda de livros espíritas, que são classificados no Brasil como literatura religiosa. Com um  percentual declarado em censo de 2% da população, nós espíritas consumimos 33% do mercado religioso.

Um fenômeno recente foi a descoberta, deste mercado, pelas grandes produtoras de livros  que provocou a elevação do preço médio do livro espírita, tornando-o o mais caro , na média 30% que os católicos e evangélicos.

Alguns dados de venda obtidos em diversos sites, via pesquisa livre pelo google:

Chico Xavier – 50 milhões de livros; (450 títulos psicografados)
Zíbia Gasparetto – 16 milhões de livros; (30 títulos psicografados )
Allan Kardec – 12 milhões de livros ; (8 títulos organizados por ele, incluíndo a Revista Espírita como um só )
Vera Lúcia Marizenck de Carvalho – 3,5 milhões de livros. (26 títulos picografados)

Não estamos considerando nesta relação a Bíblia que junto com O Livro Vermelho de Mao Tse-Tung são os livros mais vendidos ou de maior edição no mundo com cerca de 900 milhões de cópias, cada um deles. Como refêrencia ao nosso leitor,  o livro brasileiro mais vendido é O Alquimista  de Paulo Coelho, com 66 milhões de cópias, nada menos que o 24° livro mais vendido de mundo.


Concluímos que lemos bastante, mas discutimos muito pouco, a maioria das casas espíritas não valoriza a discussão, preferindo o tradicional modelo de cursos discursivos, mas ao menos estão lendo sobre imortalidade, mediunidade e evolução, quem sabe, com o passar do tempo passem a discutir com a sociedade e não simplesmente entre paredes.

NR: Originalmente publicado no Jornal Abertura de outubro de 2014

Alexandre Machado

Livros publicados pelo ICKS: livros do ICKS

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

"Deixai vir a mim as criancinhas "


                                        Neste ano de 2014 o Prêmio Nobel foi destinado a dois seres humanos fabuloso que lutam por uma educação e por uma infância dignas. 
                                             Malala Yousafzai, 17 anos, e Kailash Satyarthi, 60 anos, são dois militantes dos direitos das crianças que sofrem sistematicamente abusos em países do nosso planeta.
                                        Como diz a teoria espírita a reencarnação é um fator de evolução para o espírito, sendo a fase da  infância  uma grande oportunidade para se criar um adulto com valores elevados.
                                                     A muçulmana Malala é vítima dos fundamentalistas do Taliban que proíbem  as meninas do Paquistão frequentar escolas e que as obriga ao casamento aos 14 anos para viver a sombra dos maridos. 
                                 O trabalho de Kailahs na India é contra o trabalho escravo de crianças, muitas vezes acorrentadas, sendo as mais vulneráveis, as integrantes da casta dos dalits, os "intocáveis".  
                                  Com tantos "mestres" na India, isso já deveria ter sido superado. Mas religioso fundamentalista é que nem intelectual engajado: só a sua verdade é que deve ser levada em consideração! 

                                                                                                                                                   Roberto Rufo  
       

(parabéns ao nosso colaborado que apagou velas dia 20/10)

segunda-feira, 13 de outubro de 2014


Pensando a moral do século XXI

       
       Qual o futuro pelo qual devemos nos empenhar?, pergunta o comentarista de um livro muito interessante que acabo de ler.
       O livro de nome "Pensando o século XXI" de autoria de Tony Judt com colaboração de Timothy Snyder, ao analisar os principais fatos políticos do século XX pretende tornar-nos conscientes das obrigações do presente com o passado, conhecendo-o nas suas entranhas e principalmente tecendo considerações morais na reforma da sociedade.
       O século XX de cunho nitidamente materialista no que tange ao mundo ocidental, seja na ciencia como na política, acabou se revelando naquilo que era a maior preocupação moral de Allan Kardec, qual seja, o triunfo do materialismo.
       O motivo da preocupação: o materialista tem sempre uma tendencia muito definida de escamotear a verdade, transformando-a numa verdade única.
       O livro "Pensando o Século XX", nos apresenta análises de um intelectual sem agenda partidária e que abandonou teorias sistemicas que adoram um holofote, mas escondem cenários que não lhes são favoráveis. 
       Felicidade a nossa, dos espíritas,que desde Allan Kardec nunca nos engajamos em movimentos aparentemente "revolucionários", mas que adoram enquadar todas as pessoas dentro de um único figurino.Avessos ao debate de idéias, adotam sempre a regra de desqualificar os oponentes. Hoje trocaram o nome para desconstruir o adversário.
       Tony Judt faz uma crítica severa a um grande grupo de intelectuais engajados da história do século XX, os quais aprovavam entusiasticamente o uso da violencia, geralmente a uma distancia segura e sempre a custa dos outros.
       O Espiritismo é e sempre será contra o uso da violencia como forma de convencimento. O intelectual engajado se imagina detentor de informações exclusivas e perfeitas.
       Pai, afasta de nós esse cálice.
                
                Roberto Rufo

      

                    

domingo, 21 de setembro de 2014

No amor, na guerra e na política - uma reflexão de Lya Luft

~ No amor, na guerra e na política ~

"Que eleitores somos nós? O brasileiro comum ganha pouco. Acorda cedo, enfrenta uma condução péssima, chega exausto ao trabalho, passa um dia duro, pega novamente uma ou mais conduções muito ruins, chega em casa tarde, derrotado pela fadiga e desanimo. Nenhum tempo ou energia para conferir programas de televisão, ler jornais, trocar idéias sobre possiveis candidatos e partidos. Seguimos como rebanho resignado na mesma direção: mudar é preciso, mas exige esforço, raciocínio, conversas e alguma audácia. Transformar é mais cansativo do que deixar como está, ainda que alguma coisa em nós questione: será verdade isso que proclamam? Nessas ações não se oculta algo indigno, aquele gesto, sorriso, olhar não esconderão uma hipocrisia que, menos cansados, mais informados, amis atentos, haveríamos de desmascarar?
A quem escutar, a quem seguir? Nessa guerra não muito decente, frases vazias, mentiras polpudas e ameaças sem sentido disparam ao nosso redor como fuzilaria num campo de batalha e a gente apenas corre em frente. Talvez seja possível mudar, mas toda energia se consome nessa corrida.Vaza entre os dedos a oportunidade de compreender que afinal, no amor, na guerra e na política, não pode valer tudo." Lya Luft

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Quem pode ser contra “ Deus “ ?


                                            A Câmara Municipal de Nova Odessa , interior de São Paulo , aprovou um projeto de lei, de um vereador evangélico, que obriga os alunos das escolas municipais a lerem um versículo da bíblia no início das aulas, todos os dias. A lei foi vetada pelo prefeito, mas é provável que o veto seja derrubado pela Câmara .
                             Eu sabia que em breve chegaríamos a isso com o estupendo crescimento do número de fundamentalistas evangélicos . Ainda mais agora com a inauguração , pela Igreja Universal do Reino de Deus, do Templo de Salomão no bairro do Brás em São Paulo, que coloca o conjunto da basílica de Aparecida no bolso. E por falar em inauguração, todos os presidenciáveis e candidatos a governador de São Paulo estarão lá batendo o ponto.
                              O projeto expressa a crescente intolerância religiosa no Brasil , com o conluio muitas vezes das instituições públicas .  Incrível, se tratam de pessoas que beneficiados pela liberdade religiosa da República, agora querem cercear a liberdade religiosa dos demais, impondo a sua. 
                              O Espiritismo, que fique bem claro, defende a liberdade religiosa, ao mesmo tempo que advoga um estado laico em se tratando de crença. O episódio de Nova Odessa indica na verdade uma futura e renhida luta pelo poder, onde a fé é apenas um instrumento.
                                                    Roberto Rufo                             

                                                                                                                                               

domingo, 10 de agosto de 2014

           PAI  PRESENTE                                                     



                         Que importancia tem o nome do pai na certidão de nascimento de uma criança. Existem muitos casos de crianças que nao tem esse registro. É claro que não é possivel ignorar a existencia de um filho e levar a vida como se o mesmo não existisse, mas é o que acontece em muitos desses casos. Também existem pais que até registram os filhos mas só dão o nome e negam o coração, a atenção, a presença, enfim tudo o que definiria ser verdadeiramente pai. Não negam a existencia do filho mas deliberadamente o ignoram e portanto são tão ausentes  como aqueles que negam a paternidade. Outros pais assumem os filhos, constituem familia, mas não se envolvem na vida e na educação das crianças sendo tão ausentes como os citados anteriormente.
                         Os verdadeiros pais, de sangue ou não,  são aqueles homens que se dedicam a vida dos filhos, estão presentes nos momentos bons e ruins, que transmitem segurança com suas atitudes e exemplos dando amor e exemplo de responsabilidade.
                         Acompanhar a evolução de uma criança, com exemplos, dando uma diretriz, talvez seja o mais belo e gratificante presente que a vida proporciona e abrir mão desta dádiva é incompreensível principalmente para nós espíritas.

(O LIVRO DOS ESPÍRITOS, Allan Kardec – questões 582 e 583)

“Sem dúvidas que é uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o homem pensa, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização fraca e delicada, que o torna propício a todas as impressões. No entanto, há muitos que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a falir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.”
Gisela Régis

terça-feira, 5 de agosto de 2014

                           

SOCIALISMO????

                           O socialismo sempre fascinou a mente humana, porque parece ser mais justo, e atender melhor à parte mais pobre da humanidade. Isto, precisamente, sempre foi o ponto fraco do capitalismo: não ter plano de salvação para os perdedores. Mas o socialismo carrega consigo uma mancha execrável. Não é capaz de respeitar o que é inerente ao ser humano, que é a sua liberdade. Como não conseguirá jamais se estabelecer com a concordância dos cidadãos, precisa se impor à força. As cabeças de quem pensa, e é cioso em permanecer livre, rolam inexoravelmente. Esse regime é o mais catastrófico da história, tendo assassinado mais de 80 milhões de rebeldes. Tornou-se uma mancha na história da humanidade.
                           No Brasil, alegremente estamos correndo para os braços das ditaduras. Sem pejo nenhum, e sem falsete no rosto dos nossos dirigentes, temos relações diplomáticas preferenciais com nações, onde as liberdades individuais são uma quimera. As visitas oficiais a certos países, de visceral princípio socialista, são uma constante. A importação de médicos estrangeiros (não quero duvidar de sua competência profissional), tem como objetivo acostumar nossa população com as belezas do socialismo. Os gastos financeiros com doações em favor de nações mais pobres (todas socialistas), são uma constante. Os Black Blocs, quebrando com grande satisfação os Bancos, mostram que já estão infectados com esse vírus, francamente anti-livre mercado. Os que querem os serviços públicos todos gratuitos, vivem de um delírio deplorável. Tudo está sendo feito à luz do sol. Os condutores da nação terão o direito de dizer: “eu avisei”. É muito provável que entre os condenados pelos crimes do mensalão, já se encontrem aqueles que, no futuro, serão os dirigentes da Nação.


                 837- Qual o resultado dos obstáculos postos à liberdade de consciência?
   - Constranger os homens a agir do modo diferente do que pensam, torná-los hipócritas. A liberdade de consciência é uma das características da verdadeira civilização e do progresso.
O Livro dos Espíritos.


Gisela Regis

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Qual o futuro das crianças da América Central ?


                          Virou moda agora os países da América Central (El Salvador, Guatemala e Honduras), enviarem crianças e adolescentes ilegalmente para os EUA via fronteira do Texas, explorados pelos chamados coiotes.
                     Que tipo de mãe e de pai julgam ser a última esperança encaminhar suas crianças para o grande perigo da imigração ilegal, correndo risco de morte? Só pode ser porque outro perigo muito maior ronda os seus lares. Nos países citados a violência se tornou insuportável, especialmente
devido aos grandes grupos de quadrilhas que dominam o contrabando de drogas a caminho principalmente dos EUA, seu maior consumidor .
                        Para o Espiritismo a fase da infância é aquela onde os pais devem exercer seu papel orientador, no intuito de obter, através da educação, um resultado que venha demonstrar futuramente neste espírito reencarnante a obtenção do equilíbrio e evolução espiritual . Onde falhamos enquanto civilização vendo esses absurdos acontecerem diuturnamente?  Porque tantos espíritos ficam à margem do progresso material e intelectual? Como evoluir nesta situação ?
                     Leio que um guatemalteco, morando ilegalmente nos EUA , não vê a família há oito anos. Trabalha dez horas por dia de segunda a sábado como jardineiro. Mal sabe escrever e, quando descobriu um furto numa casa não chamou a polícia com medo de ser deportado. O círculo se torna vicioso, pois esse pai ausente do seu papel orientador há tanto tempo, por necessidade de sobrevivência, colabora, mesmo contra a sua vontade, com o relaxamento dos laços de família e suas terríveis consequências .

                                                                                                                                                                                                     Roberto Rufo 

quarta-feira, 16 de julho de 2014

                                    O Espiritismo e a Política 
                                                              

                                    Hoje quando se trata do assunto política na mídia geralmente é em tom de brincadeira ou apresentando os políticos como um bando de aventureiros e oportunistas. A maioria fez por merecer, tal o distanciamento de suas condutas com o desejo de mudanças positivas por parte da sociedade. 
                                     Apanhados em alguma falcatrua, apegam-se ao cargo e só o largam quando em última instância trata-se de salvar a própria pele ou poder concorrer nas próximas eleições . O cargo político transformou-se num salvo conduto para quaisquer tipos de irregularidades.
                                    Por isso sempre se disse que o espírita deve procurar evitar participar da política devido às tentações , quase que insuportáveis e que colocam em risco a evolução nesta encarnação. Trata-se de um equívoco esse tipo de pensamento. Como dizia a filósofa Hannah Arendt, a política é nossa última garantia de sanidade mental. Inexistindo a boa política,  sobram os regimes totalitários, as ditaduras, os governos populistas e ineficientes. E quase sempre cerceadores das garantias individuais.
                                    Hoje temos um Ministro de Estado espírita , exercendo um posto de imensa responsabilidade e que possui ótimas condições éticas  para levar o exercício do mandato a um bom termo. Não se pode fugir a uma responsabilidade coletiva tão importante somente porque trata-se do perigoso caminho da política.
                                     Quando recuperamos o pleno exercício da democracia, com os governadores eleitos pelo povo assumindo seus cargos em Março de 1983, fiz questao, aos 29 anos de idade, de acompanhar o desempenho de um político que meu pai admirava muito. Votei nele para governador. Chamava-se André Franco Montoro.   
                                      Hoje, 16. 07. 2014 faz 15 anos de seu desencarne . Para mim, foi um exemplo que dignificou o compromisso político com o interesse público . Iniciou sua carreira num partido de nome Partido Democrata
Cristão. Era católico , hoje dito praticante. Como citei hoje temos espíritas em cargos públicos, sendo um de grande destaque. Tenho certeza que saberão honrar o compromisso político com o Interesse público. Fugir a compromissos políticos de qualquer tipo (cargo , eleição , acompanhamento do desempenho dos seus candidatos) não é o perfil ideal de quem tem como finalidade a evolução espiritual. 
                                        Ser espírita também passa pela conduta política. 
                                                                                                                                                                                                 Roberto Rufo


artigo relacionado  ; moral no seculo XXI

terça-feira, 15 de julho de 2014

X Curso de mediunidade teórico-prático - em apenas 8 aulas

X Curso de Mediunidade - Inscreva-se receberás um exemplar do livro Uma nova visão do Homem e do mundo e a apostila do curso - detalhes abaixo.

Início previsto para 12 de agosto de 2014.


X Curso de Mediunidade : programa-se

Início: 12 de Agosto

O ICKS realizará, em sua sede na Rua Paraguaçu, 18 – Embaré, Santos - SP, nos meses de Agosto e Setembro o seu tradicional Curso de Mediunidade Teórico-prático, com 8 aulas de duração. As aulas serão às Terças-feiras às 20 horas.

Os interessados podem nos enviar um email ao ickardecista1@terra.com.br para reservar a sua vaga, fale para os amigos, venham conhecer a nossa sede nova.

Investimento: R$ 35,00 Incluíndo apostila do curso e 1 exemplar do livro –Uma Nova Visão do Homem e do Mundo de Jaci Régis

quinta-feira, 10 de julho de 2014

AUTO-CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA - Jaci Régis

A questão do autoconhecimento para o desenvolvimento da evolução consciente, proposta no Congresso da CEPA de Porto Alegre em 2000 é muito interessante e nos faz pensar diante de uma proposta tão globalizadora.

Em torno do tema, faço algumas reflexões que coloco à disposição dos que se interessarem por elas.




Introdução

Podemos definir a evolução consciente como a deliberação espontânea da pessoa em explorar suas potencialidades para determinar o ritmo de seu crescimento espiritual.

Já o autoconhecimento, que seria a base dessa evolução consciente, demanda uma auto-análise capaz de detectar as falhas mais evidentes no seu caráter e que se tornam impecilhos à consecução de seu projeto.

Segundo a Teoria Espírita da Evolução, o princípio espiritual evoluiu em segmentos mais elementares da vida antes de alcançar o nível hominal. Quando atinge esse nível hominal, tornando-se um Espírito, desenvolve sua auto consciência, que é a percepção de si mesmo como um ser distinto do ambiente. Entretanto, só se identifica como humano, só ganha uma identidade pessoal, na medida em que percebe a existência do outro. O outro é que nos identifica, nos torna humano.

Para o filósofo Hegel, a consciência só se transforma em auto consciência quando o ser desenvolve o desejo, como força propulsora do Humano, isso quando reconhece o desejo do outro.

“O que nos interessa para a explicação do desejo em Hegel é a passagem da Consciência (Bewusstsein) para a Autoconsciência (Selbstbewusstsein) passagem essa que é feita pelo Desejo (Begierde). Assim sendo para que o Desejo se torne humano e para que constitua um Eu humano, ele só pode ter por objeto um outro Desejo” (trecho de Freud e o Inconsciente de Alfredo Garcia-Roza, Zahar Editores, 1984, Rio de Janeiro).

Assim, a autoconsciência é um passo definitivo na identificação e consolidação do ser como ser humano, ou talvez mais precisamente, essa autoconsciência torna o principio espiritual num ser humano.

É o que nos ensina O Livro dos Espíritos.

190. Qual o estado da alma em sua primeira encarnação?

- O estado de infância na vida corpórea. Sua inteligência apenas desabrocha: ela ensaia para a vida.

191. As almas dos nossos selvagens estão no estado de infância?

- Infância relativa, pois são almas já desenvolvidas, dotadas de paixão.

191a. As paixões, então, indicam desenvolvimento?

- Desenvolvimento sim, mas não perfeição. São um sinal de atividade e de consciência própria, enquanto na alma primitiva a inteligência e a vida estão em estão em estado de germes.

Comentando a questão Allan Kardec diz: “as paixões são alavancas que decuplicam as forças do Espírito e o ajudam a cumprir os desígnios da Providência”

As paixões são a base da vida, como o é o desejo e tirá-los da alma é deixá-la vazia, atônita. Viver sem paixão é ser uma espécie de legume. Saber usar a força da paixão é o caminho correto na busca da espiritualização. Aceitar o desejo e transforma-lo em alavanca de realizações úteis e produtivas é sinal de inteligência e aproveitamento das energias do coração.

Na seqüência evolutiva, a paixão inaugura no ser o nível afetivo no conflito do Desejo com o Desejo do outro.





O Inconsciente Espírita



A possibilidade do ser autoconhecer-se, no seu sentido mais agudo, é bastante problemática.

A nível de consciência, nosso horizonte de autoconhecimento, é muito limitado, uma vez que nesse nível, a percepção pessoal é extremamente influenciada pelo princípio de autodefesa e pelos valores correntes, advindo da própria estrutura do ser, como das circunstâncias vivenciais do meio ambiente.

Desde que Freud constatou que a pessoa possui duas instâncias afetivas, o consciente e o inconsciente, verificamos que uma parte de nossa personalidade está oculta da consciência.

Ou seja, a totalidade dos sentimentos, medos, culpas e outros fatores que compõem a personalidade permanecem inacessíveis ao consciente, no jogo das realidades interiores e as expressões exteriores na vida da pessoa.

Reflito, todavia, nesse inconsciente dentro da Teoria Espírita da Evolução e os segmentos reencarnatórios que a compõe.

O ser espiritual constitui uma individualidade permanente, imortal e progressiva. Ele estrutura uma mente onde se localizam os conteúdos das experiências afetivo-racionais de sua vivência nos constantes processos reencarnatórios.

O processo evolutivo da individualidade espiritual é elaborado em cada segmento encarnatório, resultando uma penosa relação de aprendizado que se sedimenta como base de seu caráter. Considerando ainda que há a possibilidade de mudança de sexo em encarnações sequenciais, com todas as consequências dessa mutação orgânico-mental-afetiva, compreendemos que tudo isso compõe um quadro de difícil definição.

Em cada encarnação, essa individualidade se exterioriza no mundo corpóreo, atendendo os fatores hereditários e recebendo as pressões ambientais em que se localiza, criando uma personalidade apropriada para o momento vivencial que experiencia.

Entretanto, sua estrutura mental não se apresenta totalmente na consciência. Certos fatores de ordem afetiva na estrutura mental da individualidade, muitas vezes são negados na personalidade consciente.

Poderíamos pensar num inconsciente espírita para designar com propriedade o repertório mento-afetivo resultante das experiências significativas do Espírito em sua estrutura mental permanente. Aí seria o lugar onde se fixam os traços mnêmicos, com imagens e sensações correspondentes, residuais, da sua vivência. Essas vivências serão a base e se projetam na personalidade de cada encarnação como idéias inatas, tendências genéticas para alguns, personalidades complexas e sentimentos confusos.

Daí, na minha visão, ser difícil realizar um completo autoconhecimento, porque a construção da individualidade é realizada num processo helicoidal, na repetição de experiências, na fragmentação de sentimentos e composição de grades de insegurança, medo, autodefesas virulentas e patológicas que criam uma personalidade típica. Por isso a personalidade existencial é elástica ou rígida, às vezes pouco delineada, difusa. Essa a razão por na Psicologia existem muitas Teorias da Personalidade segundo as premissas de seus autores.

Em resumo, cada pessoa é uma individualidade espiritual definida em sua essência, mas complexa e inacabada em sua estrutura. E que se exprime na vida corpórea por uma personalidade que apresenta lacunas, retratando as complexidades do Espírito como unidade intelecto-afetiva, em processo de crescimento.



NR – Artigo original foi apresentado por Jaci Régis no XVIII Congresso Espírita Pana-americano, em 2000 na cidade de Porto Alegre. O trabalho integral pode ser acessado pelo site da CEPA - http://www.cepainfo.org/

Joaquim Barbosa vai se aposentar e sua relação com o Espiritismo, por Alexandre Cardia Machado

Barbosa vai se aposentar


Creio que boa parte da população brasileira ficou decepcionada, afinal, depois de muito tempo tivemos um “paladino da justiça” uma pessoa séria, de gestos exagerados mas com firmeza de propósitos.

Joaquim Barbosa sofre de uma doença degenerativa que lhe cause mauitas dores, tornando um sacrifício participar dos longos debates que ocorrem no Supremo Tribunal Federal - STF, certamente será uma grande perda para a justiça brasileira.



Qual a razão real da aposentadoria? Teria sido a dor, mesmo ou a falta de motivação para Barbosa antecipar sua aposentadoria? Ou o fato de ele estar um tanto isolado na presidencia do Supremo, com posições destoantes da maioria dos juízes o maior fator gerador da decisão?

Acreditamos que pela sua trajetória, não teria sido este último motivo, o principal, Barbosa deve ter seus planos futuros, quem sabe embalado pela alta popularidade. Talvez não se aproveite dela neste momento quando ainda não está resolvido o chamado “mensalão” e, quem sabe, saindo antes, não ficaria comprometido com o resultado final de todas as revisões processuais.

Seu par no STF, o ministro Marco Aurélio Mello disse “lamentar a saída do presidente do STF e entende devido ao seu estado de saúde. “(Barbosa) Veio a ser relator de uma ação penal importantíssima no que o supremo como colegiado acabou por reafirmar que a lei é lei para todos, indistintamente. Acabou por revelar que o processo em si não tem capa, processo tem conteúdo”, disse Mello, referindo-se ao julgamento do mensalão” Segundo o portal Terra.

A verdade que fica é que por alguns anos tivemos uma luz brilhando em Brasília, não o vimos como perfeito, mas pelo menos víamos um baluarte contra a corrupção.

O Livro dos Espíritos nos ensina que devemos trabalhar até o limite de nossas forças, Barbosa não é espírita, mas é um homem de bem, ele certamente se aposentará, mas não parará de trabalhar, aguardemos seus próximos passos.

Quanto ao STF, a Presidência da República terá oportunidade de indicar o seu substituto, como reza a constituição brasileira, se pensarmos bem, este dispositivo deveria ser modificado, quem sabe um modelo mais democrático, onde a população de alguma forma pudesse participar.

Vemos em outros países supremas cortes que simplesmente ali estão para aprovar atos do Executivo, não estamos assim no Brasil, seria injusto nos referirmos aos nossos ministros, desta maneira, temos sim escolas distintas de formação que neste momento, em sua maioria, não seguem o mesmo caminho de Joaquim Barbosa.

Como espíritas e cidadãos nos interessa um judiciário forte, capaz de usar do seu poder de decisão, na forma mais equilibrada possível. Ficaremos atentos.

 

quinta-feira, 3 de julho de 2014

RESPOSTA BRINCADEIRA DO KADU JORNAL ABERTURA MAIO 2014

ANTÔNIMOS

1.   A MORTE É A MUDANÇA COMPLETA DE CASA SEM A MUDANÇA ESSENCIAL DA PESSOA.

2.   EMBORA NINGUÉM POSSA VOLTAR ATRÁS E FAZER UM NOVO COMEÇO, QUALQUER UM PODE COMEÇAR AGORA E FAZER UM NOVO FIM.


3..   FELICIDADE É A CERTEZA DE QUE NOSSA VIDA NÃO ESTA SE PASSANDO INÚTIL.


4.  O ESPIRITISMO É UMA FILOSOFIA DE VIDA, PATENTE A TODOS OS ESPÍRITOS LIVRES QUE PROGRIDEM POR EVOLUÇÃO.  

RESPOSTA BRINCADEIRA DO KADU JORNAL ABERTURA ABRIL/2014



RESPOSTA DA BRINCADEIRA DO KADU/JORNAL ABERTURA MÊS JANEIRO/FEVEREIRO DE 2014

CAÇA-RESPOSTA

Resposta: PROGRESSO ESPIRITUAL

RESPOSTA BRINCADEIRA DO KADU /JORNAL ABERTURA MARÇO/2014

PAR POR PAR

TO    LE     RA    NC   IA

1. TO
2. LE
3. AR (INVERTIDO)
4. MELANCOLIA  (NC)
5. IA

FE   LI   CI   DA   DE

1. FÉ
2. LI
3. CI (CIÚMES)
4. DA
5. DE



domingo, 15 de junho de 2014


Não sou favorável  em dar cartaz a religiosos de qualquer tipo em periódicos espíritas . Mas tenho que admitir uma certa inveja em não ter produzido o texto que o Papa Francisco produziu intitulado " Papa manda lições para os atletas do mundial". Ele  produziu um material claro, limpo, direto, imparcial e de caráter universal. Um texto belíssimo com um conteúdo magnífico que vai ao encontro do pensamento espírita em todos os sentidos. Leia o texto e comente. 

ROBERTO RUFO

"Queridos amigos, 

É com grande alegria que me dirijo a vocês todos, amantes do futebol, por ocasião da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Quero enviar uma saudação calorosa aos organizadores e participantes; a cada atleta e torcedor, bem como a todos os espectadores que, no estádio ou pela televisão, rádio e internet, acompanham este evento que supera as fronteiras de língua, cultura e nação. 

A minha esperança é que, além de festa do esporte, esta Copa do Mundo possa tornar-se a festa da solidariedade entre os povos. Isso supõe, porém, que as competições futebolísticas sejam consideradas por aquilo que no fundo são: um jogo e ao mesmo tempo uma ocasião de diálogo, de compreensão, de enriquecimento humano recíproco. O esporte não é somente uma forma de entretenimento, mas também - e eu diria sobretudo - um instrumento para comunicar valores que promovem o bem da pessoa humana e ajudam na construção de uma sociedade mais pacífica e fraterna. Pensemos na lealdade, na perseverança, na amizade, na partilha, na solidariedade. De fato, são muitos os valores e atitudes fomentados pelo futebol que se revelam importantes não só no campo, mas em todos os aspectos da existência, concretamente na construção da paz. O esporte é escola da paz, ensina-nos a construir a paz. 

Nesse sentido, queria sublinhar três lições da prática esportiva, três atitudes essenciais para a causa da paz: a necessidade de “treinar”, o “fair play” e a honra entre os competidores. Em primeiro lugar, o esporte ensina-nos que, para vencer, é preciso treinar. Podemos ver, nesta prática esportiva, uma metáfora da nossa vida. Na vida, é preciso lutar, “treinar”, esforçar-se para obter resultados importantes. O espírito esportivo torna-se, assim, uma imagem dos sacrifícios necessários para crescer nas virtudes que constroem o carácter de uma pessoa. Se, para uma pessoa melhorar, é preciso um “treino” grande e continuado, quanto mais esforço deverá ser investido para alcançar o encontro e a paz entre os indivíduos e entre os povos “melhorados”! É preciso “treinar” tanto… 

O futebol pode e deve ser uma escola para a construção de uma “cultura do encontro”, que permita a paz e a harmonia entre os povos. E aqui vem em nossa ajuda uma segunda lição da prática esportiva: aprendamos o que o “fair play” do futebol tem a nos ensinar. Para jogar em equipe é necessário pensar, em primeiro lugar, no bem do grupo, não em si mesmo. Para vencer, é preciso superar o individualismo, o egoísmo, todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana. Não é só no futebol que ser “fominha” constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos “fominhas” na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada. 

A última lição do esporte proveitosa para a paz é a honra devida entre os competidores. O segredo da vitória, no campo, mas também na vida, está em saber respeitar o companheiro do meu time, mas também o meu adversário. Ninguém vence sozinho, nem no campo, nem na vida! Que ninguém se isole e se sinta excluído! Atenção! Não à segregação, não ao racismo! E, se é verdade que, ao término deste Mundial, somente uma seleção nacional poderá levantar a taça como vencedora, aprendendo as lições que o esporte nos ensina, todos vão sair vencedores, fortalecendo os laços que nos unem. 

Queridos amigos, agradeço a oportunidade que me foi dada de lhes dirigir estas palavras neste momento e prometo minhas orações para que não faltem as bênçãos celestiais sobre todos. Possa esta Copa do Mundo transcorrer com toda a serenidade e tranquilidade, sempre no respeito mútuo, na solidariedade e na fraternidade entre homens e mulheres que se reconhecem membros de uma única família. Muito obrigado!"


Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/06/12/as_3_li%C3%A7%C3%B5es_de_francisco_para_uma_copa_de_solidariedade/bra-806415
do site da Rádio Vaticano 

quarta-feira, 4 de junho de 2014






1º  - O governo americano gasta 1 bilhão de dólares por ano para ensinar a teoria do criacionismo nas escolas.
Esse montante é bem significativo: maior que o PIB de 23 países, segundo a ONU, como os orçamentos de Zanzibar e São Tomé e Príncipe.
O recurso é gasto em forma de subsídios públicos destinado a escolas privadas. 
Os programas didáticos de muitas dessas escolas nem incluem, paralelamente aos ensinamentos cristãos, a teoria da evolução ou outros fatos científicos.
E os livros vão além da criação do mundo em sete dias, segundo a reportagem: desdenham do secularismo, desacreditam momentos de descobertas científicas históricas e até hostilizam cientistas famosos.

Comentário : as escolas são privadas mas o dinheiro é público . O não ensinamento da Teoria da Evolução nessas escolas , amplamente aceita no mundo científico e conforme o ideário espírita , é fruto da enorme pressão conservadora republicana nos EUA da era Bush e do Tea Party .

2º  - Nos EUA, as escolas públicas, por lei, não podem colocar a teoria criacionista no currículo. Mas estados como Louisiana e Tennessee decidiram criar leis próprias para permitir isso.
Um levantamento da Slate Magazine achou dezenas de escolas públicas que ensinam criacionismo aos alunos.

Comentário : Esses estados do sul dos EUA , escravocratas no passado , em muitas coisas veem o progresso como uma manifestação do demônio . E lá como cá , prevendo dificuldades em  reelegerem-se, muitos políticos do Partido Democrata estão saltando do barco e se atirando de corpo e alma no Partido Republicano. Calculem o que eles devem achar do Espiritismo.

3º  -  A Escola Presbiteriana Mackenzie decidiu que até o quarto ano só ensinará o projeto criacionista deixando a apresentação da proposta evolucionista para um momento oportuno de aprendizado aos alunos mais próximos da juventude.

Comentário : as pessoas devem ser motivadas,  desde crianças, a aprender a utilizar a mentalidade científica, pois esta não está sujeita a mitos, coisas sobrenaturais, misticismos , tão significativos do pensamento mágico religioso . O sonho dos conservadores é colocar percalços na utilização do livre-arbítrio. O Espiritismo não abraçaria esse programa educacional.                                                                                      

Roberto Rufo 

segunda-feira, 19 de maio de 2014




                  RACISMO X RACISMO


              “O racismo é a tendência do pensamento ou o modo de pensar, em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras, normalmente relacionando características físicas hereditárias a determinados traços de caráter e inteligência ou manifestações culturais. O racismo não é uma teoria cientifica, mas um conjunto de opiniões preconcebidas que valorizam as diferenças biológicas entre os seres humanos, atribuindo superioridade a alguns de acordo com a matriz racial.
              A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a escravidão , o domínio de determinados povos por outros, e os genocídios que ocorreram durante toda a historia da humanidade e ao complexo de inferioridade, se sentindo, muitos povos, como inferiores aos europeus (wikipedia).”
              Cristovam Buarque, senador ( PDT) argumenta que "o Brasil é um país dividido, que abriga a maior concentração de renda do mundo e um modelo de apartheid: o apartheid social brasileiro." Ele diz que que em vez de "um espectro de desigualdade", há agora "uma ruptura entre os incluídos e os excluídos."  Argumenta ainda que a sociedade está ameaçada por "um hiato entre ricos e pobres tão grande que em todo o país haverá um crescimento separado, nos moldes da Africa do Sul, sob o apartheid" e que enquanto isso está acontecendo no mundo, "O Brasil é o seu melhor exemplo."
             Kardec ressalta que "na reencarnação desaparecem os preconceitos de raças e de castas, pois o mesmo Espírito pode tornar a nascer rico ou pobre, capitalista ou proletário, chefe ou subordinado, livre ou escravo, homem ou mulher. Se, pois, a reencarnação funda numa lei da Natureza o princípio da fraternidade universal, também funda na mesma lei o da igualdade dos direitos sociais e, por conseguinte, o da liberdade"
             Digo eu que, os atos racistas somente cessarão quando se perceber que a quantidade de melanina nao torna as pessoas superiores nem inferiores, somente traz variações dentro da mesma espécie - a Homo sapiens.


E voce leitor, o que pensa do racismo? Deixe sua opinião 


terça-feira, 6 de maio de 2014



 O Trabalho associado à Educação 



                                                                    Neste mês de Maio/2014 comemora-se mais um Dia do Trabalho , praticamente um feriado internacional .
                                   Isso é importante pois demonstra que o valor trabalho é reconhecido e visto como necessário ao progresso da humanidade e para nós espíritas está associado como fator determinante para a evolução espiritual . É uma das leis naturais expostas no Livro dos Espíritos.
                                   Após resposta dos espíritos à pergunta 685, Allan Kardec discorre sobre  a ciência econômica que procura o equilíbrio entre a produção e o consumo , e caracteriza como flagelo a inexistência de ocupação ao trabalhador , entao ele faz uma correlação que sempre me passou despercebida . Nada como uma releitura das obras básicas . Refiro-me quando o grande Kardec afirma que " há um elemento que comumente, não entre na balança e sem o qual a ciência econômica não é mais que uma teoria : a educação " . 
                                    Explica, no entanto, estar falando da educação que consiste na arte de formar caracteres . Avisa do perigo da massa de indivíduos jogados na torrente da população, sem princípios , e praticamente entregues aos seus próprios instintos. Eu acrescentaria , espíritos criados sem a presença de uma  família equilibrada.
                                                                                                                        Roberto Rufo

Baseado nas consideraçoes de Kardec e de Roberto Rufo, deixe seus comentarios sobre a relaçao educaçao e trabalho

terça-feira, 22 de abril de 2014

40 anos da Revolução dos Cravos 



                  Dentre as Leis Morais , inscritas na terceira parte do Livro dos Espíritos , sem dúvida a Lei de Liberdade é uma das mais atemporais . Nela o valor liberdade é apresentado como condição primeira para a evolução espiritual . Agora que se fala tanto nos 50 anos do golpe militar de 1964 , me vem à memória que no dia 25 de Abril de 1974 , Portugal saía definitivamente das sombras da ditadura salazarista . Uma florista anônima , do Rossio , distribuiu cravos vermelhos aos soldados , que junto com grande parte da sociedade portuguesa davam fim a uma longa ditadura . Era a chamada Revolução dos Cravos .

Seu lema : " Democratizar , Descolonizar, Desenvolver " . Toda a teoria espírita se coloca ao lado de movimentos como esse .


Roberto Rufo .

Santos/SP .

sexta-feira, 18 de abril de 2014

                       




                                                    Foi no dia 18 de abril de 1857, na cidade de Paris, capital da França, que veio a lume "O Livro dos Espíritos", a obra basilar do Espiritismo, ditada pelo mundo invisível e compilada, separada, classificada e codificada pelo professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, que, propositadamente, adotou o pseudônimo de Allan Kardec, a fim de que a obra pudesse ser reconhecida  pelo seu conteúdo e não por quem a assinava, já que era ele muitíssimo conhecido e reconhecido, como professor e como autor de diversos livros, vários dos quais adotados pela Universidade de Paris, notadamente os que versavam sobre educação.   
                                         Teve considerável peso também, na adoçãodo pseudônimo, o fato de que o livro foi ditado pelos Espíritos Superiores, daí o título "O Livro dos Espíritos", não sendo obra dele, professor Rivail, portanto, não obstante tenha nela lançado inúmeros comentários e observações pessoais.      
                                                     Nota-se, assim, por esses detalhes, a conduta reta e ilibada do professor Rivail, o codificador do Espiritismo, que foi discípulo de Johann Heinrich Pestalozzi, famoso educador e fundador do Internato de Yverdon, na Suíça, e, posteriormente, seu substituto predileto, tendo sido considerado pelo célebre astrônomo francês Camille Flammarion "o bom senso encarnado", que, acrescente-se, sempre procurou agir com seriedade e sem rejeições apriorísticas, características do verdadeiro cientista. Constituía traço característico de sua personalidade, por igual, a preservação da ética, sempre, em suas múltiplas e variadas expressões. 
                                        De 1855 a 1869, quando desencarnou em 31 de março, o eminente e ilustrado professor Rivail consagrou sua existência ao Espiritismo. Em seu túmulo, no Cemitério Père Lachaise, em Paris, uma inscrição sintetiza a concepção evolucionista da Doutrina Espírita: nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei! Por outro lado, decorridos 154 anos, não se pode deixar de reconhecer que os ensinos contidos em "O Livro dos Espíritos", em sua essência, permanecem absolutamente aplicáveis aos dias atuais, o que, por si, recomenda a leitura, a releitura e, sobretudo, a reflexão, em torno de tão preciosa obra, que contém os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade.
                                            Por outra parte, enfatiza lições seculares, procurando demonstrar com exemplos e com fatos que "a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória" e que "a cada um será concedido de acordo com as suas obras". 
                                        Consola, ao salientar que ninguém será condenado irremediavelmente pelos erros, males e equívocos cometidos, por quanto até mesmo em outra reencarnação, que detalha e aprofunda, poderá repará-los, parcial ou totalmente, até quitá-los integralmente, contando com todas as oportunidades de que necessite para tal, uma vez que Deus a nenhum de seus filhos abandona ou desampara.

                                    Consola, igualmente, ao demonstrar cabalmente que as Leis Naturais são perfeitas e por isso mesmo imutáveis, advindo daí a certeza de que a Justiça Divina, que nelas se baseia, é absolutamente imparcial, não havendo seres privilegiados na Criação ou privilégio de qualquer espécie a quem quer que seja, prevalecendo a convicção de que Deus não pune, não castiga e não premia a ninguém, sendo, assim, soberanamente bom e justo, Ele que é a inteligência suprema do Universo, causa primária de todas as coisas!
                                               Aliás, esta sentença de Jesus também ensina que para que amemos ao próximo é absolutamente indispensável que nos amemos. Agindo com amor e praticando o Bem, ensina-nos a Doutrina Espírita, ingressaremos na estrada que nos conduzirá à perfeição relativa e à felicidade suprema, destino final dos seres humanos, sendo certo que, assim, sem dúvida, seremos muito mais felizes, desde agora, aqui mesmo na Terra!
                                                Por fim, nestas rapidíssimas observações, o Espiritismo ensina que o amor é a lei maior da vida, consubstanciada por Jesus na sentença que constitui o seu ensino máximo:   "amar ao próximo como a si mesmo", vale dizer, aconselhando que façamos ao próximo aquilo que gostaríamos que ele nos fizesse, porque quem assim procede estará, por esse mesmo motivo, "amando a Deus sobre todas as coisas".    

                                  Verdadeira síntese do conhecimento humano, é um tesouro colocado em nossas mãos, que merece ser lido e refletido de capa a capa, palavra por palavra.Com efeito, para dizer o mínimo, convém salientar que o Espiritismo nada impõe a seus profitentes, e muito menos a terceiros."           
                              Ao contrário, procura orientar sempre, pela palavra escrita ou falada, que somos dotados de livre-arbítrio, da faculdade de decidir livremente sobre quaisquer assuntos, esclarecendo ao mesmo tempo que, exatamente por isso, somos responsáveis pelas decisões que tomemos, sejam quais forem e nos mais variados campos, e naturalmente responsáveis pelas suas conseqüências.         


Antônio Moris Cury