segunda-feira, 2 de novembro de 2009

NOITE DE AUTÓGRAFOS
Jaci Regis fará Noite de Autógrafos de seu livro NOVO PENSAR SOBRE DEUS,HOMEM E MUNDO no dia 28 de novembro às 19 horas na Livraria Realejo, loja do Shopping Miramar, no Gonzaga. O livro é uma reflexão sobre esses três temas fundamenais do pensamento filosofico. Mais informações no ICKS, Av. Francisco Glicéio, 261 - telefone 3284 2918

CURSOS NO ICKS

CONHEÇA O ESPIRITISMO, quatro aulas nos dia 4,11,18 e 25 de novembro das 20 às 22 horas.Uma abordagem objetiva e introdutoria ao pensamento espírita.

MORTE E MORRER - três aulas nos dia 12,19 e 26 de novemro, das 20 àss 22 horas. Perdas de entes queridos e a questão da morte na vida.
Informações e insrições na Av.Francisco Glicerio, 261, telefone 3284 2918

sábado, 31 de outubro de 2009

ICKS- ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DA OBRA DE KARDEC

O ICKS estrutura-se para não apenas estudar e divulgar a obra de Allan Kardec, mas traalhar pelo desenvolvimento do pensamento doutrinario. Através do SIMPOSIO BRASILEIRO DO PENSAMENTO ESPIRITA, de cursos, livros e jornal ABERURA realiza um esforço permanente e tranquilo para aplicar a base do trabalho kardecista aos avanços, necessidades e realidades da atualdiade.
Segundo Allan Kardec, o Espiritismose se suicidaria se imobilizasse.
Não se trata de infiltrar ideias e concepções exdruxulas que não cabem na estrutura básica da obra kardecista. Mas saber ligar, aplicar, inserir desenvolver conceitos dinâmicos, racionais e compativeis com aquela estrutura inicial básica. O ICKS está abeto ao debate, à critica e ao entendimento.
Fale conosco

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

LIGAÇÃO ESPÍRITO-CEREBRO
Jaci Regis

Como se dá a ligação entre o espírito e o corpo?
Esta é uma questão importante porque segundo O Livro dos Espíritos “o Espírito está fora do corpo”.
É fora de dúvida que a ligação entre a alma e o corpo se dá pelo cérebro
Podemos especular que, na transição do parto, mobilizam-se recursos energéticos automáticos, próprios do processo, que estabelecem a ligação instantânea da mente do espírito ao cérebro da criança.
Essa ligação poderá ser uma espécie de sinapse entre os filamentos energéticos do corpo mental e os terminais do cosmo cerebral. As funções dos neurotrasmissores no organismo seriam substituídas, nessa hipotética sinapse, por fluxos de vontade transformados em emissões energéticas e sinalizadores de recepção mental, através dos impulsos nervosos do organismo.
Só assim, podemos visualizar como o espírito pode ser simultaneamente agregado firmemente ao corpo e manter sua independência. Os laços são elásticos e permanecem ligados mesmo na eventual ausência do espírito, por ondas mentais e nervosas recíprocas.
Como o perispírito se desenvolve com o organismo, o chamado “laço” que prende o corpo energético ao organismo representa a síntese dessa ligação extremamente poderosa, de tal maneira que somente quando corpo morre é que se pode desatá-la. Daí, inclusive, porque a morte cerebral é considerada a hora fatal da desencarnação.
.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

GABINETE PSICO-MEDIÚNICO - Autores: Cláudia Régis Machado e Alexandre Cardia Machado


As atividades do Gabinete Psico-Mediúnico estão suspensas até o início de 2013.


1 - Objetivo do trabalho:

Este trabalho descreverá a atividade que está em desenvolvimento no Instituto Cultural Kardecista de Santos - ICKS, desde Setembro de 2009, onde utilizando o intercâmbio mediúnico, suporte psicológico a pessoas com problemas emocionais, noções rápidas de Espiritismo e emissão energética próxima uma equipe formada por sete colaboradores vem ajudando semanalmente muitas pessoas a superar dificuldades existências.

O trabalho descreverá a função desempenhada por cada colaborador, suas principais atribuições, descrevendo o trabalho executado pelos Espíritos e apresentando resultados obtidos. Visa sistematizar e servir como referência por outras casas espíritas. A técnica central é de uma terapêutica breve, relaxamento , apoiada por energias e suporte espirituais com o objetivo de dar um reforço moral, equilíbrio espiritual e anímico.

Verificou-se que as grandes maiorias dos que terminam o processo, geralmente de 10 sessões, ao receberem alta, saem muito mais confiante na sua própria capacidade de manterem-se em equilíbrio, com maiores possibilidades de bem viver.



2 - Bases para o trabalho

Jaci Régis[1], em seu trabalho sobre a Espiritossomática, assim se refere ao ser humano:

“O Ser espiritual integra-se naturalmente no corpo. Ele é, temporariamente, o corpo. Entra na vida corpórea como uma aventura existencial que lhe exigirá o emprego de todas as energias e capacidades para sair-se bem, ao final. O rendimento, a eficiência dessa aventura, como sabemos, varia ao infinito, para cada personagem humana.”

É para ajudar algumas pessoas que estão em dificuldades psico-espirituais, a encontrar um rumo mais seguro que este trabalho foi idealizado.

Segundo Jaci, neste mesmo artigo, “referindo-se aos problemas afetivos definidos no campo da patologia psicológica, entendemos que o homem pode refazer seu caminho, descobrir suas potencialidades e desobstruir os canais de sua energia afetiva. Daí a necessidade de uma terapia espiritossomática, que atue no corpo e no Espírito. O encontro da espiritualidade, passa pela valorização do corporal, em que ela se insere. Quando entendemos o homem nessa globalidade, trabalhamos no presente, que é o único momento real da vida do Espírito. O passado é o presente que passou, o futuro é o presente que virá. O amanhã só se concretiza quando se torna hoje”.

            “Coube aos conceitos Kardequianos, deslocar para o espírito o centro da personalidade, até então, fixada nas células cerebrais orgânicas. Permitiu uma invasão maior e definitiva no campo da espiritualidade, dando condições de pesquisas mais profundas, mais coerentes e mais reais relativas ao estudo do homem em sua total integridade como matéria, energia e espírito atuante.”[2]

A organização do trabalho foi feita com o objetivo de aproveitar uma série de técnicas que são usadas em Centros Espíritas (CE) e em “grupos de aconselhamento psicológico”, a inclusão de sessões de emissão energética (passe), baseia-se na convicção da efetividade desta técnica para a reposição de energia dos pacientes, conforme destacado por Ivan Dutra[3] em 1991 – referindo-se a população de frequentadores das sessões de passe” verificou-se que a grande maioria dos entrevistados relata que a aplicação do passe, traz sensações positivas como: aumento de bem-estar, aumento de energia, efeitos psicológicos de alívio, calma e serenidade (60%). Estes resultados estão de acordo com o que Ney Prieto Peres (1986) afirma, quando diz que as pessoas que participam de trabalhos espirituais em sua maioria alcançam um bem-estar geral”.

Ainda segundo Dutra, Herculano Pires (1985) coloca a respeito dos efeitos psicológicos do passe, que o efeito direto das pessoas no ambiente com intensão de ajudar o paciente, desperta o sentimento de segurança e confiança em si próprio, “que quer dizer, a sensação após o passe pode ser resultado tanto da doação fluídica (energética), como do contato com outras pessoas (calor humano)”.

Herculano Pires[4] refere-se ao Centro Espírita considerado aqui como gênero, representando qualquer entidade espírita onde o mesmo acredita que, ter nas suas palavras “no desempenho da sua função, o CE é, sobretudo, um centro de serviços ao próximo, no plano propriamente humano e no plano espiritual. O ensino evangélico puro, as preces e os passes, o trabalho de doutrinação representa um esforço permanente de esclarecimento e orientação de espíritos sofredores e de suas vítimas humanas, que geralmente são comparsas necessitados da mesma assistência”.

O trabalho realizado no ICKS não é o tradicional “atendimento fraterno”[5][6] que ocorre em centros Espíritas, e sim um trabalho de tratamento metódico psico-mediúnico. Que embora também seja fraternal não tem como objetivo acolher pessoas que buscam o ICKS como um CE. Este trabalho é para ajudá-las a se recompor energética, espiritual e psicologicamente, por um tempo determinado. Ajudando-os a encontrar subsídios internos capazes de mantê-los firmes sem o nosso acompanhamento.



2.1 – Bases Espíritas do Gabinete Psico-Mediúnico:

As reuniões mediúnicas exigem um equilíbrio de energias e uma forte determinação mental de seus participantes, Ademar dos Reis[7], assim descreve a importância da preparação do ambiente: “A reunião mediúnica é uma conjugação de energias e reclama um equilíbrio emocional, sendo o preparo atribuição de ambas as partes envolvidas (encarnados e desencarnados). É preciso sensibilidade para o ritmo de cada reunião.”.

Assim, sempre antes de iniciarmos os trabalhos de mediunidade e de emissão energética procede-se a uma preparação, através da mentalização de todos os componentes encarnados na atividade que será realizada e a abertura mental para a doação da necessária energia àqueles que a necessitam.

Os emissores energéticos assistem à palestra sobre a Doutrina Kardecista e depois se dirigem à sala de passe, onde se juntam aos companheiros que participarão da reunião mediúnica (um médium e dois coordenadores). Neste momento iniciamos a mentalização através de uma prece simples seguida da necessária introspecção e elevação mental de toda a equipe. Nesta hora sempre é solicitado o apoio dos Espíritos da casa, para todas as atividades.

Uma vez feito isto, a equipe da reunião mediúnica se dirige para a sala correspondente enquanto a equipe de emissão energética segue em concentração até que se iniciem os trabalhos.

Estas descrições coincidem com as apresentadas por Marcelo Régis[8] com relação aos cuidados efetuados pela equipe espiritual no Centro Espírita Allan Kardec de Santos– por relatos dos Espíritos que se comunica em nossas reuniões, o grupo espiritual a que pertencemos chamado de Nossa Casa é o mesmo. Alguns espíritos fazem parte dos trabalhos no ICKS e no CEAK de Santos-SP.

O Livro Psicografado de autoria de Marina Fidélis[9] descreve o “CE é agência, escola de liberdade”.

Dentro do princípio definido na introdução ao trabalho esta é a maior motivação à realização do mesmo.




2.2 – Bases Psicológicas do Gabinete Psico-Mediúnico:


Aconselhamento:
Segundo Henriette Morato[10] o aconselhamento psicológico é a expressão mais direta e específica do que é o trabalho do psicólogo. De acordo com ela, o aconselhamento começou por volta dos anos 40, depois da guerra no sentido de poder ajudar os veteranos de guerra que estavam voltando.
E parece ter tomado corpo e expressão na década de 1950-1960. A partir de então o aconselhamento tem sido um método de assistência psicológica destinada a restaurar no indivíduo, suas condições de crescimento e de atualização, habilitando-o a perceber, sem distorções, a realidade que o cerca e a agir, nessa realidade, de forma a alcançar ampla satisfação pessoal e social.
A ajuda envolve a pessoa a refletir para dar sentido a sua existência e assumir suas situações de vida. Focam-se no processo de aconselhamento, conversas com temas emocionais e vivenciais.
Aconselhar não é dar conselhos, ou prescrever condutas que deveriam ser seguidas. Pelo contrário, trata-se de ajudar o sujeito a compreender-se a si próprio e à situação em que se encontra e ajudá-lo a melhorar a sua capacidade de tomar decisões que lhe sejam benéficas. O aconselhamento está centrado na resolução de problemas do sujeito, focalizado no presente, com uma duração mais curta, orientado para a reflexão e ação. Tentado ajudar o cliente a sair da dificuldade e se prevenir, se cuidar para que permaneça assim.
O aconselhamento não trabalha para mudanças de personalidade nem para conflitos inconscientes. Reforça e gratifica as conquistas que o cliente vai efetuando.
Segundo Scheefer[11] pode-se falar em aconselhamento como ação educativa preventiva, de apoio, situacional voltada para solução de problemas.
Para o aconselhamento não há fórmulas, nem metodologia estruturada, mas existem atitudes terapêuticas que o caracterizam e devem ser seguidas:
1. Não ser diretivo - facilita que a mensagem seja assimilada, reduz as tensões, pois não há julgamentos e acima tudo ajuda o cliente a perceber a si mesmo e o meio que vive com objetivo, se necessário, de alterar sua percepção.
2. Ser congruente – “Rogers[12] fala que os terapeutas melhor sucedidos no lidar com os clientes são reais e exibem autenticidade”.
3. Expressar atitudes positivas de aceitação e de calor humano para com o cliente. O conselheiro preza o cliente, não aprova, nem reprova. É o sentimento positivo sem reservas e julgamentos. O terapeuta vê o cliente como um ser com potencial.
4. Ter compreensão empática - o conselheiro deve compreender o cliente, ter senso do mundo interno e das significações pessoais do cliente como se fosse ele próprio, seu próprio mundo, porém mantendo a neutralidade. Esta condição é, segundo May[13]  a chave para o processo de aconselhamento, pois é através dela que todos os conselheiros atingem as pessoas.
5.Fazer um acolhimento adequado e proporcionar ao cliente um ambiente aconchegante. Estabelecer uma relação de confiança e ser facilitador para que as exposições dos temas auxilie o cliente na resolução de seus problemas e tomada de decisões.

6. Ter uma comunicação competente com clareza da linguagem empregada. O objetivo maior do aconselhamento é conseguir que o cliente torne-se ele mesmo seu agente transformador e possa ecolher medidas para melhor satisfaçãopromovendo seu bem estar. É promover o bem estar psicológico e a autonomia pessoal no confronto com as dificuldades e com os problemas.

 Problemas mais comuns que o aconselhamento atende:

Depressão/Luto.
Ansiedade/Stress.
Dificuldades Relacionais.
Situações causadoras de Mal-Estar Físico e/ou Psicológico.

Muitas pessoas não conseguem passar por situações de crise sozinhas e necessitam de apoio de amigos e familiares.

No trabalho do gabinete psico-mediúnico os clientes são selecionados após a entrevista. Selecionamos pessoas que não apresentem  problemas psicológicos graves, mas que estão vivendo um momento difícil, e que precisam de ajuda para gerir todos os fatores intervenientes em questão.  Muitos se mostram desestabilizados no enfrentamento dos momentos difíceis por demonstrarem de personalidades fracas e problemáticas que acabam por aflorar em desequilíbrio mental-emocional, sendo que outros mostram desanimo e falta de coragem, apesar de terem personalidades estruturadas.

Estruturamos o nosso trabalho para atender este tipo de problemática e como não temos a pretensão de fazer terapia em grupo adequamos o nosso atendimento como aconselhamento, mas não de forma clássica. Mas com modificações e adaptações que ajudassem as pessoas que nos procuram. Para isso acolhemos as pessoas identificando a sua demanda e esclarecemos sobre o trabalho que desenvolvemos para evitar fantasias e mitos, pois uma orientação neste tipo de trabalho é compreendido de forma mágica e mística.  Mágica acreditando que os espíritos resolveram os problemas, de alguma forma diferente e mística porque a orientação é dada por alguém do além, do plano extrafísico.

 Os pacientes logo no inicio percebem que a situação não é esta, mas que consiste na mudança da situação que se encontra, com trabalho constante, persistência. Trabalhamos com aqui e agora fazendo-os compreender o que ocorre com eles, bem como a importância de buscar o crescimento emocional, psíquico e moral, enfim desenvolvimento global.

Adotamos o aconselhamento como técnica terapêutica visando oferecer perspectiva de vida onde cada um sinta responsável pela sua própria vida, co-responsável pela sua qualidade de vida, por suas escolhas e por sua liberdade. Valorizando a vida e cada momento, mesmo na dor e no sofrimento e acreditando na sua própria capacidade.


3- Descrição do trabalho:

Descreveremos o trabalho desenvolvido considerando a seguinte estrutura:

Componentes e funções dos membros encarnados do ICKS:
Componentes e funções dos membros oriundos do plano Extrafísico

3.1 - Componentes e funções dos membros encarnados do ICKS:

3.1.1 - Dinâmica dos trabalhos e duração dos tratamentos:

O trabalho foi dimensionado para funcionar em 10 semanas sendo que as atividades transcorrem da seguinte maneira, no primeiro dia, o paciente chega entre 19h00min e 19h30min para anamnese – conforme o tipo de problema apresentado o paciente é aceito para o tratamento, já se integrando aos trabalhos no mesmo dia.

3.1.2 - Palestra Espírita:

A partir de meados de 2010 foi implantada uma palestra espírita básica, englobando os princípios básicos e leis morais, normalmente apresentadas pelo Sr. Mauricy Silva – tem duração de 20 minutos, no máximo. Os emissores energéticos assistem à palestra para preparação e foco de pensamento.

Durante o período da palestra um dos colaboradores, Sr. Mauricy faz a chamada das pessoas que vão falar com o espírito no Gabinete Mediúnico e das pessoas que vão para a sala de emissão energética.


3.1.3 Indução a renovação do pensamento, relaxamento e respiração.

Utilizamos para início da sessão um relaxamento físico e mental conquistado através do controle da respiração e da indução sugestiva propiciando uma maior abertura mental aos pacientes. Lembrando que a reunião inicia com uma pequena explanação sobre os princípios Kardecistas. Elegemos iniciar desta maneira porque somos uma instituição espírita e recebemos pessoas de todos os credos e para mostrar quais são os fundamentos filosóficos do nosso trabalho.

3.1.4- Aconselhamento:

Seguindo à palestra espírita, a psicóloga Cláudia Régis Machado inicia uma preleção de aproximadamente 1 hora, com assuntos psicológicos variados, os quais relatarão num tópico aparte.
Técnica aplicada –
Utilizamos a exposição de temas psicológicos como ferramenta terapêutica que tem como objetivo fazer com que os pacientes se identifiquem com o tema da explanação e venham a refletir. São motivados para que esta reflexão ocorra e em alguns momentos expressem suas dúvidas e questionamentos.
Não é uma terapia de grupo, mas como colocamos antes um aconselhamento que leve a reflexão e posteriormente a ação para mudanças necessárias. Mantemos um enfoque no aqui e agora. Estimulamos que a decisão de mudança e as conquistas sejam buscadas com muito trabalho, persistência, cuidado e que cada um possa confiar e descobrir suas próprias potencialidades porque cada paciente é responsável por sua vida e sobre as suas escolhas. A palestra busca incentivar os pacientes a assumir novas atitudes e riscos.  Quando necessário orientamos na busca de apoio terapêutico profissional por que há muitas pessoas despreparadas, mostrando pouco conhecimento e percepção de si mesmo. Outros um pouco mais desestabilizados ou com estrutural emocional muito fragilizada que necessita de medicação para se equilibrarem orgânica e psiquicamente.
Fora a exposição, estabelecemos um ambiente terapêutico e tenha o seu papel importante Irvin Yalon no seu livro Cura de schopernhaguer diz que é sempre difícil descrever qual é o “ingrediente realmente importante” para a melhora dos pacientes, mas que existe na criação dos grupos um “ambiente curativo”. Compartilho dessa ideia não no papel de cura, pois não há tempo hábil nem é o nosso objetivo, mas temos a consciência que no trabalho que desenvolvemos criamos este ambiente vibracional, auxiliado pela espiritualidade onde é possível “mergulhar nas águas curativas” conforme Irvin assim se refere.
O ambiente criado pela espiritualidade, pelos participantes da equipe do gabinete, e o desenvolvimento dos temas psicológicos tem grandes propriedades regenerativas do estado mental de cada um dos pacientes.
Tópicos que são abordados:

Tratamos de assuntos como autoestima, busca de força interior, qualidade dos pensamentos e das ações. Orientação sobre a importância da vida e do viver. Valores que norteiam a vida, importância de estar aberto e disponível para mudanças quanto necessários. Autoconfiança.Busca da espiritualidade. Objetivos, propósitos e projeto de vida, mudança de hábitos, paciência.

Estimular a reflexão, olhar para si mesmo e as mudanças de atitudes perante a vida, mudança de comportamento.

Catalisar as energias psíquicas e espirituais no redirecionamento da vida.


3.1.4 - Sala de Emissão Energética - passe:

Trabalham nesta atividade quatro colaboradores, Sra. Elizabeth Molina, Sr. Antônio Ventura, Sr Yuri Souto Maior e Sr. Carlos Lepage.

A emissão energética pode ser individual ou em conjunto, conforme a melhor opção dependendo do número de pacientes no dia, de forma a reduzir ao máximo possível à interferência na palestra de aconselhamento.



3.1.5 - Gabinete Mediúnico;

Dispomos de uma médium psicofônica – Zilda Maria de Souza Pereira.
Dois coordenadores – Sr. Pedro Molina e o Sr. Alexandre Machado

Os pacientes conversam com o espírito na 1ª vez que vem a casa, na 5ª vez e na 10ª vez - onde é reavaliada a condição do paciente e a sua alta pode ou não ser dada, dependendo de mútuo acordo, neste período tivemos cerca apenas cinco casos onde o tratamento foi estendido para 15 sessões.



3.2 - Componentes e funções dos membros oriundos do plano Extrafísico

Espíritos que participaram desta descrição: Diana, Cuidadoso.

3.2.1 - Recepção- entrevista e anamnese:

São dois espíritos de guarda, em caso de necessidade pedem ajuda a outros companheiros que vem rapidamente para acudir e que não participam normalmente da reunião.

Na atividade de anamnese, comparecem amigos espirituais dos entrevistados acompanhados de um Espírito de guarda da casa para proteção espiritual.


3.2.2 - Sala de palestra e Aconselhamento:

Existem vários espíritos nesta sala, um amigo espiritual da Psicóloga e Espíritos que fazem trabalho semelhante ao dela no plano espiritual – eles trazem espíritos para serem tratados na sala. Com o objetivo de tomar consciência de si mesmo, distinguir o estado em que se encontram, ou mesmo apenas para efeitos motivacionais.


3.2.3 - Sala de emissão energética - passe:

Existe um Espírito coordenador da sala.


3.2.4 - Gabinete Mediúnico:

Espírito de consulta mediúnica que vem trabalhando conosco desde 2009:

Espírito Antero – comunicava-se pelo médium Jaci Régis desde 2009: declarou-se amigo espiritual de Jaci, dava suporte físico e espiritual para que ele pudesse levar até o fim das suas possibilidades o trabalho a que ele se propôs. Nas últimas semanas de 2010, com os problemas de saúde de Jaci Régis, ele desligou-se dos trabalhos, pois o Jaci precisou de muito apoio, o Espírito Antero esteve com ele até sua desencarnação e a nova médium Zilda não mais o recebeu, embora tenhamos relatos de sua presença nas reuniões.

Espírito Diana – comunica-se com a médium Zilda, substituiu o Espírito Antero a partir de Outubro de 2010, não participava antes deste trabalho, mas acolheu o pedido e veio trabalhar conosco. Diana nos relata que normalmente existem três espíritos na sala do Gabinete Mediúnico. Diana ficou sabendo do trabalho pelo grupo de amigos que vive junto a Santos, ela não é daqui, veio por afinidade com o trabalho – antes trabalhava em um hospital espiritual.

Espírito Cuidadoso – vem participando de algumas reuniões, desde 15 de agosto de 2011 – não está desde o início do trabalho, mas já está há algum tempo, não quer se identificar ainda, mas tem alternado com a Diana na consulta mediúnica.

Frequentemente recebemos visitas de Espíritos amigos, da comunidade espiritual do Centro Espírita Allan Kardec de Santos.


3.2.5 - Considerações dos Espíritos quanto aos pacientes:

Segundo o Espírito Diana, “os pacientes são pessoas muito solitárias, o trabalho é preparado antes, eles pensam muito antes de decidir por entrar na casa – existe uma atração, eles nos atraem quando estão no processo de escolha”.

Alguns Espíritos da casa tem conhecimento sobre o paciente, Diana propriamente não os conhece e nem faz acompanhamento deles, pois não quer ser influenciada ou influenciar o paciente ou médium. Reservando-se para o aconselhamento.

Pacientes com sinais de depressão – os amigos espirituais apoiam o médico deles, no período em que eles estão em tratamento conosco.

Paciente obsidiado – não é fácil para os Espíritos determinar que um paciente esta com um obsessor, segundo Diana “eles se escondem, mas tem uma determinada hora em que eles não aguentam mais o ambiente e se mostram. Nesta hora nossos Guardas quase que os anestesiam e retiram do ambiente, a maioria foge em seguida após passar o torpor, pois não aceitam facilmente à doutrinação”.

Considerações dos Espíritos quanto aos trabalhos de uma forma geral:

De acordo com o Espírito Diana “Nós seguíamos as orientações do Jaci até o seu afastamento da reunião, o trabalho planejado incialmente por ele era outro, os amigos foram se agregando ao trabalho à medida que ele dava as diretrizes. O Espírito Antero tinha uma afinidade muito grande com o Jaci”.

“A espiritualidade é parte coadjuvante, não se dispersem, tratem de fazer o trabalho com amor”.

De acordo com o Espírito Cuidadoso “os Espíritos que acompanham e participam do nosso trabalho não fazem seguimento dos pacientes (após o término do tratamento), só o fazem no período em que eles estão vinculados ao ICKS”.


4 - Estatísticas:

    1. Perfil do frequentador (idade, sexo, estado civil, número de filhos).
    2. Quadro psicológico (queixa principal)
    3. Percentual que conclui o tratamento


Levantamento do trabalho Psico-mediúnico

Pessoas atendidas  186,  Idade média= 44,16 anos.

Sexo: Feminino  131             Masculino 55


Estado civil:



Residência:


Filhos:   Sim 124,  Não 60



Número de sessões frequentadas pelos pacientes.



Tipo de problemas





Terminaram o tratamento:

   Sim   70, Não   116
 


Analisando a evolução através dos anos:

Considerando um total de 186 pacientes.



5 - Resultados

Comentários baseados nas estatísticas:

Obtivemos um resultado positivo, considerado como tal pelo número de pessoas que terminam o tratamento na média de 37,6%, conforme gráfico xxx.

Não existe um processo de avaliação final dos pacientes embora recebamos feedback livre dos mesmos, a percepção é positiva entre aqueles que terminam os trabalhos.

39% das pessoas que nos procuram descobrem que o trabalho que realizamos não é o que buscam e abandonam o trabalho após o primeiro dia, não retornando. 23,4% desistem antes de chegar à segunda reunião mediúnica. Isto está de acordo com a referência bibliográfica onde Irvin[14] declara que, as pesquisas mostram que o tratamento não faz efeito para cerca de um terço dos pacientes. Conseguimos um pouco mais 37,6% o que mostra estarmos no caminho certo.
Às vezes a pessoa faz terapia e não é ajudada, precisa procurar outro tipo de ajuda. Nosso grupo tem consciência de que não poderemos ajudar a todos que nos procuram, porque talvez o tipo de trabalho que oferecemos não atinja a todos da mesma forma e se faça necessário à busca, por estes pacientes, de outras formas de terapia.
O trabalho embora sendo desenvolvido com a ajuda de uma psicóloga não se faz necessário que a pessoa que exerça este mesmo papel tenha a formação em psicologia, mas os preceitos colocados no item 2.2 devam ser mantidos para que o trabalho seja eficaz.

6- Conclusão

            A terapêutica aplicada apresenta um resultado positivo, de conclusão de tratamento e alta de cerca de 35% das pessoas que nos buscam.

            Este trabalho requer dedicação, compromisso da equipe do ICKS e suporte constante da equipe Espiritual.

Esperamos que a descrição do mesmo sirva de apoio a outras iniciativas semelhantes em outros CE.



7 - Bibliografia

1 -Centro Espírita – Herculano Pires;
2 - Espiritismo e Exercício Mediúnico – Espírito Marina Fidélis, psicografado – Maury Rodrigues da Cruz; 1985 Curitiba Ed.SBEE;
3 -Mecanismos da Mediunidade – Ademar Arthur Chioro dos Reis Ed. CPDoc – São Paulo 2005;
4 -Hipnometria – Técnica Espírita de Tratamento de Doentes Mentais – Denizard Souza – Anais do II SBPE – 1991. Santos-SP
5 - Centro Espírita do Ponto de vista dos desencarnados – GPCEB – Marcelo Coimbra Régis - Anais do II SBPE – 1991. Santos-SP
6 - Mediunidade e vida – Amilcar Del Chioro Filho
7 - Perfil dos Frequentadores do Centro Espírita nosso Lar – Ivan Dutra e Nilva Busatta - Anais do II SBPE – 1991. Santos-SP
8 -Espiritossomática – Jaci Régis. Anais do IV SBPE – Porto Alegre RS
9 - A cura de Shopeenhauer – Irvin D.Yalom
11 –Scheffer, Ruth – Teorias de aconselhamento – Ed. Atlas - 1970.
13 – May, Rollo – A arte do Aconselhamento Psicológico - Ed Vozes – 1984.
14 – Carls Rogers – Terapia centrada no cliente – Ed Vozes – 1951









[1] Espiritossomática – Jaci Régis.

[2] Hipnometria – Técnica Espírita de Tratamento de Doentes Mentais – Denizard Souza
[3] Perfil dos Frequentadores do Centro Espírita nosso Lar – Ivan Dutra
[4] O Centro Espírita – página 7
[5] Mediunidade e vida – Amilcar Del Chioro Filho
[6] www.nenossolar.com.br
[7] Mecanismos da Mediunidade – Ademar Arthur Chioro dos Reis – página 47
[8] O Centro Espírita do Ponto de vista dos desencarnados – GPCEB – Marcelo Coimbra Régis
[9] Espiritismo e Exercício Mediúnico – página 13
[11] Scheffer, Ruth – Teorias de aconselhamento
[12] Carls Rogers – Terapia centrada no cliente
[13] May, Rollo – A arte do Aconselhamento
[14] A cura de Shopeenhauer – Irvin D.Yalom


Agradecimentos:


Este trabalho não poderia ter sido feito sem o apoio incondicional da equipe física formada pelos amigos Zilda Maria de Souza Pereira, Mauricy Silva, Antônio Ventura, Pedro Molina, Elizabeth Molina, Yuri Souto Maior e Cláudio Lepage e naturalmente da equipe espiritual, formada por vários colaboradores anônimos e pelos Espíritos que se identificaram como Antero, Diana e Cuidadoso. Um agradecimento especial, em memória ao criador do Gabinete Psico - Mediúnico, Jaci Régis que pensou, implementou a ideia e coordenou o trabalho até o momento da sua desencarnação. Ele sempre repetia “que não havia nada tão importante como o servir e que o espírita deve ter como meta ajudar o próximo”.


terça-feira, 23 de junho de 2009

O DESASTRE DO AVIÃO DA AIR FRANCE

Foi um acontecimento inusitado, trágico.
De repente, o avião que se dirigia a Paris simplesmente sumiu. Provavelmente uma pane total fez com ele se despencasse no oceano, perdendo-se nas profundezas das águas.
Até este momento não se tem noticias precisas, não se sabe as causas.
Simplesmente, até agora o mistério é total.
228 pessoas morreram. Iam para férias, trabalho, retorno às suas casas.
E agora?
A morte é sempre solene. Surpreende nesses casos a crença, a fé em Deus.
Quem não viajou naquela voo por circunstâncias várias atribui essa salvação a Deus.
Foi Deus quem teria evitado a morte de quem não viajou, estando prevista a viagem.
Sob o ponto de vista da naturalidade dos processos vivenciais, o acidente aconteceu porque é possível acontecer, devido a problemas mecânicos, eletrônicos ou atmosféricos. Mesmo sendo muito raro.
Para quem morreu como fica?
Segundo a crença materialista acabou=-se a vida.
Para os religiosos em geral, é a vontade de Deus que se manifesta e, portanto, nada a considerar. A não ser o que se sente injustiçado “por que eu?”.
Para os espíritas – laicos e religiosos – tudo tem uma razão, uma explicação.
Para eles a vida é um jogo de xadrez com seu quadrado especifico. As peças se movem dentro de um regido processo de causa e efeito.
Naquele avião estavam brasileiros, franceses, alemães e outras nacionalidades, procedente de origem diversa e objetivando um destino especial.
Mas, nessa visão determinista, fatalista, foram escolhidos a dedo para morrer.
Porque para esses espíritas o desastre estava previsto. A inexorável justiça divina reuniu todos para o ajuste de contas. Para pagar seus débitos com Deus. Para sanar faltas do passado.
O que teriam feito? O pecado cometido foi coletivo, em grupos ou individual? O que importa é que era tempo de pagar.
Ali, naquele mar, naquela noite, equipes de socorristas estavam de plantão para ajudar os recém-mortos. Talvez não aceitem que os Espíritos desencarnados fiquem no fundo do mar.
Para nós a vida é um proceso natural, imprevisto. Na vida terrena só a morte é inevitável. O gênero da morte também é imprevisível.
O desastre não estava previsto.
Não havia equipes socorristas de plantão.
Não se trata de acaso. Trata-se da naturalidade dos processos vivenciais.
De resto, ainda que doloroso, triste, amargo e sofredor, o episódio não representa o fim da vida.
O Espírito é imortal.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Curso sobre a EVOLUÇÃO DO PRINCÍPIO ESPIRITUAL

Neste mês de junho nos dias 22, 23 e 24 (segunda- terça e quarta-feira) da 20 ás 22 horas será realizado o curso Evolução do Princípio Espiritual.
O Curso será coordenado pelo engenheiro Alexandre Cardia Machado, que irá abordar a tese espírita sobre a evolução do espírito e demonstrará como isto se deu na Terra, desde a formação da vida até as encarnações em corpos humanos. O curso, segundo Cardia, busca alinhar os princípios espíritas da Imortalidade, Reencarnação e da lei de Evolução com os conhecimentos científicos atuais.

O Curso será realizado na sede do ICKS, na Av. Francisco Glicério, 261 - Gonzaga - Santos - SP
Para participar é necessário pagar uma taxa de inscrição no valor de R$ 15,00.
Para inscrição e maiores informações: (13) 333247321.
Atendimento: de 2ª a 6ª das 8 ás 12 das 14 ás 18 hs.

Outros artigos relacionados publicados no blog :


Reencarnação e o desenvolvimento do homem - Alexandre Cardia Machado


http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8190435979242028935#editor/target=post;postID=4264443337118614361


Abrindo a mente - A pluralidade dos mundos habitados e o critério de falseabilidade por Alexandre Cardia Machado

http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8190435979242028935#editor/target=post;postID=2096406799399550055


Abrindo a mente:60 bilhões de humanos – nossa história. Por Alexandre Cardia Machado

http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8190435979242028935#editor/target=post;postID=1617735720002438799




O Ser Humano e a Evolução- - Uma análise pré-histórica - Alexandre Cardia Machado

http://icksantos.blogspot.com/2011/12/o-ser-humano-e-evolucao-uma-analise-pre.html


O Terceiro Chimpanzé - Marcelo Régis

http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8190435979242028935#editor/target=post;postID=9211824297486829196


Outros artigos de Alexandre Cardia Machado:

Pode o Pensamento deslocar-se acima da velocidade da luz?

http://icksantos.blogspot.com/2011/10/pode-o-pensamento-deslocar-se-acima-da.html


Abrindo a Mente - Uma entrevista com Hernani Guimarães de Andrade

http://icksantos.blogspot.com/2011/10/abrindo-mente-uma-entrevista-com.html


CEPA REJEITA PROPOSTA DO ICKS

Em reunião realizada em Buenos Aires, Argentina, dia 23 de maio último o Conselho Executivo da CEPA rejeitou a proposta do ICKS para criação e uma Comissão para estudar um novo posicionamento doutrinário da CEPA, a partir do Novo Modelo Conceitual de Jaci Regis.
Dessa maneira o XXI Congresso da CEPA, a realizar-se em Santos, em 1012, segue sem uma definição.
Para a direção da CEPA, ele receberá propostas e trabalhos dentro do esquema geralmente usado nos eventos desse tipo.
As decisões da CEPA são:
1.o pensamento de Allan Kardec está em contínuo processo de atualização e será feita através da construção coletiva que se plasma nos Congresso e eventos da CEPA, alem de outras muitas contribuições.
2. O Novo Modelo Conceitual é considerado um muito bom trabalho individual.
3. Seria improcedente constituir uma Comissão para a analisar a tese de um autor em particular e rejeita adota-la como tese central do XXI Congresso.
4. O XXI Congresso seguirá dentro dos parâmetros costumeiros dos eventos da CEPA

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Desafios do Kadu

 KADU CRESCEU E VOLTOU - livro de passatempo espírita

Claudia Regis Machado publicou “Kadu e o Espírito Imortal”, interessante livreto de introdução à Doutrina Kardecista, dentro de um dinamismo gráfico e de pesquisa.
O Kadu era, então, um menino.
Passados anos Kadu cresceu e ela lançou agora um produto editorial inédito no mercado livreiro espírita. Trata-se do Desafios do Kadu.
É um coquetel de palavras cruzadas e muitas outras brincadeiras. Ao final o leitor terá percorrido divertido trajeto de conhecimentos sobre os fundamentos, autores, idéias da Doutrina Kardecista.

SERVIÇO
Desafios do Kadu, formato 15x21 cm. Para pedido pelo correio, incluindo as despesas postais, o preço é R$ 13,00. Pedidos ao ICKS pelo e-mail ickardecista1@terra.com.br.
CAPA DO JORNAL ABERTURA MÊS DE MAIO


Confira a capa do ABERTURA mês de Maio que além das manchetes vistas que você leitor e não leitor podem vêr, mas também:
Notícias sobre o IV FÓRUM DO LIVRE PENSAR TEVE BOA REPERCUSSÃO.
EditoriaL, MEDIUNIDADE: NOSSO CALCANHAR DE AQUILES
Imprensa Espírita, O ABORTO DA MENINA DE 9 ANOS
Carolina e Reinaldo de Lucia, com a coluna Mundo atual que tem como título E NÓS, NÃO ATUALIZAMOS?
Ademar Chioro dos Reis com o artigo, UM CONVITE AO DEBATE.
Entre tantos outros assuntos...
Se você não é assinante entre em contato ickardecista@terra.com.br e peça já o seu exemplar.
PRESIDENTE DA CEPA RESPONDE AO ICKS

O presidente da CEPA, Dante Lopez teve a gentileza de responder a carta que enviamos propondo a criação de uma Comissão para criar um novo modelo doutrinário da CEPA. Ele vai encaminhar o assunto ao Conselho Executivo.
Entretanto, alguns pontos de sua amável carta precisam ser melhor esclarecidos.
Por isso, remetemos a carta abaixo com esclarecimentos que julgamos necessário à boa compreensão da proposta apresentada.

Um abraço do Jaci

RESPOSTA DE JACI REGIS AO PRESIDENTE DA CEPA
Santos, 12 de maio de 2009

Prezado Dante,

Em primeiro lugar, quero agradecer sua sábia decisão de submeter ao Conselho Executivo da CEPA minha proposta.
Entretanto, permito-me fazer comentários sobre o texto de sua afetuosa carta.
Faço-o fraternalmente e no estrito desejo de colaborar para o esclarecimento das coisas. Para que a discussão no Conselho Executivo não seja apenas política, mas essencialmente doutrinária.
Comento alguns itens da carta:
Por otro lado, todos sabemos las graves dificultades que afrontan nuestros compañeros Brasileros frente a las distorsiones que ha sufrido y sufre el Espiritismo en ese inmenso país. También lo que "derrama" para otros países con su fuerza de difusión y poder económico el sector de personas que ha hecho de esta Doctrina una nueva Religión, a contramano de lo que desearíamos muchos otros.
Ora, o pensamento de Allan Kardec tem sido adulterado pelas injunções culturais, sem dúvida. Devido à tendência religiosa não apenas no Brasil, mas em toda a parte.
Assim, as dificuldades são gerais e não apenas no Brasil. Creio que na Argentina, na Venezuela em Porto Rico, enfim, em toda a parte.
Mas o mais importante é a análise que você faz do meu propósito:
Ahora bien, nuestros amigos del ICKS, liderados por Jaci, nos hacen una propuesta para alterar algunos conceptos que hemos mantenido vigentes a través de las generaciones, como por ejemplo respetar que hay múltiples interpretaciones de la Doctrina Espírita, porque múltiples son las idiosincrasias y las necesidades de nuestros hermanos los seres humanos.
Vejo que minha proposta foi virtualmente rejeitada, quando se diz que pretendo “alterar alguns conceitos tem sido mantidos vigentes através de gerações” Certamente isso é verdade, mas o que a CEPA pretende? Ela tem levantado a bandeira da atualização do Espiritismo e quer também manter práticas ancestrais?
Não creio que a CEPA deva ter muitos Espiritismos. O que pretendo é que a CEPA defina o que pensa do Espiritismo.
Você parece admitir que haja vários “Espiritismos”, que uma entidade possa ser adesa à CEPA e ter pensamento e prática tipicamente de uma religião. E a CEPA é laica. O que significa tudo isso?
Se o pensamento é manter a estrutura ancestral, por que propagar a idéia de atualização?
Não sei se entendi, mas você propõe que cada um tenha o Espiritismo que deseja. Ou seja, por exemplo, promover um congresso denominado de laico e todos falem como religiosos?
A proposta que apresentei é para elaborarmos, em conjunto, um Novo Pensar Espírita sobre Deus, o homem e o Mundo, numa estrutura conceitual atual, dinâmica, produtiva. Que não elimina o trabalho básico de Allan Kardec, mas prossegue além dele.
Espero que tenha compreendido mal suas palavras.
Mas reafirmo que a CEPA, na minha visão, precisa dizer que Espiritismo adota. E decidir-se, como fez quando declarou-se textualmente laica, porque as transcrições que você fez do Congresso de 1975, são genéricas, sem precisão.
De qualquer forma, reafirmo minha convicção no futuro de nossa instituição e que haveremos de abrir nossas mentes e debater, sem prevenção ou medo, nosso ideal.
Prezado amigo, reafirmo meu apreço pessoal e fraternal por você.
Atenciosamente
Jaci Regis


CARTA RESPONDIDA POR DANTE LOPEZ - PRESIDENTE DA CEPA
Confederación Espírita Panamericana
Fundada en Bs. As. ARG. El 12/10/1946
WWW.CEPANET.ORG
Rafaela, 7 de abril de 2007

Sr. Presidente del
INSTITUTO CULTURAL KARDECISTA DE SANTOS
Jaci Regis

Jaci y amigos del ICKS:
Respondiendo a su carta enviada esta semana, quisieramos hacer algunas consideraciones previas:

Antes que nada manifestarles en nuestro nombre y en el de los compañeros la alta estima en que tenemos a nuestro querido amigo Jaci, a su esposa Palmira, sus hijas y todos los miembros de esa Institución que tanto trabajo hace en pos de la difusión de nuestra querida Doctrina Espírita.

Su labor, reflejada en participaciones en Congresos, realización de Eventos, Libros y Documentos publicados es utilizada por muchas personas como conceptos innovadores que nos ayudan a comprender el Mensaje Espírita de Amor, Solidaridad y Tolerancia. “La Evolución es solitaria, pero también es solidaria”, creo recordar como un pensamiento emanado de su claridad de conceptos.

Por otro lado, todos sabemos las graves dificultades que afrontan nuestros compañeros Brasileros frente a las distorsiones que ha sufrido y sufre el Espiritismo en ese inmenso país. También lo que "derrama" para otros países con su fuerza de difusión y poder económico el sector de personas que ha hecho de esta Doctrina una nueva Religión, a contramano de lo que desearíamos muchos otros.

Contrariamente a lo que se pueda suponer, la CEPA ha sostenido la bandera del Espiritismo laico y librepensador desde sus comienzos y ha reiterado esa posición a través de múltiples Declaraciones, Artículos y Publicaciones.
Puede verse como ejemplo la

DECLARACIÓN DEL X CONGRESO DE MAR DEL PLATA 1975:

1. CONSTITUYE EN EL ORDEN PSICOLÓGICO UNA CIENCIA POSITIVA Y EXPERIMENTAL.

2. ES LA FORMA CONTEMPORÁNEA DE LA REVELACIÓN ESPIRITUAL.
3. MARCA UNA ETAPA REVOLUCIONARIA EN EL PROGRESO ESPIRITUAL DE LA HUMANIDAD.
4. ENALTECE LA RAZÓN, FOMENTA EL SENTIMIENTO Y SATISFACE LA CONCIENCIA.
5. DA SOLUCION A LOS MÁS DIFÍCILES PROBLEMAS SOCIALES, MORALES Y ESPIRITUALES.
6. NO IMPONE CREENCIAS, SINO INVITA AL ESTUDIO Y LA REFLEXIÓN.
7. REALIZA UNA SÍNTESIS CIENTÍFICA, FILOSÓFICA Y MORAL QUE RESPONDE A UNA NECESIDAD DE PROGRESO HISTORICO.

Los mismos conceptos se han ido reiterando más reciente y contundentemente en Caracas 1990, Porto Alegre 2000, Rafaela 2004 y Puerto Rico 2008.
Hemos hecho de la lucha pacífica una bandera, estamos convencidos que con los principios de Trabajo, Solidaridad y Tolerancia seguimos los caminos de quien sentó las bases del Espiritismo y de muchos de quienes los siguieron, sin por ello abdicar a nuestros principios.
Ahora bien, nuestros amigos del ICKS, liderados por Jaci, nos hacen una propuesta para alterar algunos conceptos que hemos mantenido vigentes a través de las generaciones, como por ejemplo respetar que hay múltiples interpretaciones de la Doctrina Espírita, porque múltiples son las idiosincrasias y las necesidades de nuestros hermanos los seres humanos.
Por respeto a la trayectoria de esta Institución adherida y amiga de Santos y su líder natural, Jaci, nos comprometemos a analizar en profundidad su solicitud en nuestra próxima reunión de Consejo Ejecutivo, que tendrá lugar en Buenos Aires el próximo 23 de mayo.
Esperamos que cualquiera sea el resultado de nuestra respuesta continuemos contando con la amistad de todos, ya que ninguna contraposición de ideas debiera alterar el afecto que sentimos entre verdaderos compañeros del Ideal Espírita.
Saludamos a uds. con afecto y respeto.

Dante López
Presidente

Raúl Drubich
Secretario